As artes liberais e as artes mecânicas

Por Marcelo Albuquerque   As Artes Liberais são habilidades desenvolvidas na Antiguidade Clássica, consideradas essenciais para a pessoa livre, baseadas na aquisição de educação erudita, a fim de que esta tome parte ativa na vida cívica e pública. Elas formam a base do currículo nas universidades medievais, sendo elas: Trivium: a gramática, a retórica, a dialética Quadrivium:... Continuar Lendo →

Florença e o quattrocento

Por Marcelo Albuquerque   A primeira fase renascentista está focada na cidade de Florença, que oferece a possibilidade de estudos superiores em círculos acadêmicos não associados à Igreja ou instituições tradicionais, mas financiadas pelos ricos banqueiros, como a família Médici.  As artes plásticas e a arquitetura formulam regras de perspectiva linear, reorganizando a representação espacial. A... Continuar Lendo →

Estádio de Domiciano e a Piazza Navonna

Por Marcelo Albuquerque   Do período de governo de Domiciano, destaco o desenho da atual Piazza Navona, local do antigo Estádio de Domiciano. A piazza tem forma de ferradura alongada, pois os atuais edifícios se erguem sobre as antigas arquibancadas do estádio, sendo possível visitar o subsolo da praça através de um museu subterrâneo dedicado... Continuar Lendo →

Estilos de pinturas romanas

Por Marcelo Albuquerque   As pinturas romanas, em grande parte afrescos, têmperas e encáusticas, receberam influencias etruscas, itálicas e gregas. Em Pompeia encontram-se grandes exemplos preservados de pinturas, especialmente as agregadas aos ambientes arquitetônicos públicos e privados (ver Domus italica). As pinturas nos ambientes se dividem em quatro estilos principais, configurando padrões decorativos, sendo eles:... Continuar Lendo →

Considerações finais sobre o estudo da cor

Por Marcelo Albuquerque   O interesse pela cor é decorrente da minha experiência como artista e como professor. A cor sempre foi um ponto que implicou decisões dramáticas, seja por aspectos compositivos, simbólicos, psicológicos e técnicos. O uso da cor não é uma questão puramente prática; ela implica uma série de conhecimentos adquiridos na história... Continuar Lendo →

Aproximações científicas da cor na arte

Por Marcelo Albuquerque Aponto uma tradição científica da cor na arte como aqueles artistas que, em maior ou menor grau, pesquisam as manifestações da cor com suportes científicos, através da química, física e fisiologia humana, principalmente. Entretanto, a ciência não isenta as obras artísticas da leitura poética ou metafísica, pois, como foi dito anteriormente, as... Continuar Lendo →

A reação neoclássica e a postura romântica

Por Marcelo Albuquerque Nas minhas disciplinas relacionadas à cor, procuro me apoiar na história da arte e relacionar os estilos e movimentos através de analogias com a cor. Duas imagens me chamam a atenção quando abordo as críticas dos neoclássicos ao rococó: Madame de Pompadour, de François Boucher (1756), e Madame Récamier, de Jacques Louis... Continuar Lendo →

Barroco: poussinistas versus rubenistas

Por Marcelo Albuquerque O barroco engloba um amplo movimento cultural nascido em Roma, durante o período que segue a Contrarreforma, aplicado nas artes plásticas, arquitetura, literatura, filosofia e música. Seu período mais influente compreende os séculos XVII e o início do século XVIII. Na arte e na arquitetura, a linguagem clássica não é abandonada, mas ressignificada, com contrastes expressivos anticlássicos comparáveis ao helenismo... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑