A questão das cores na Antiguidade Clássica

Por Marcelo Albuquerque Este texto foi adaptado da minha dissertação de mestrado, intitulada Laboratório de Cor: paradigmas do estudo da cor na contemporaneidade.   Israel Pedrosa, em Da cor à cor inexistente, comenta que Eumares de Atenas e Címon de Cleones, na Grécia Clássica, iniciam a época de ascensão dos meios que suscitariam o aparecimento da... Continuar Lendo →

A tradição do debate entre o desenho e a cor na pintura antiga

Por Marcelo Albuquerque Historicamente, a cor é estudada nas artes, na filosofia e na ciência, desde a Grécia pré-socrática à helenística, com Demócrito, Empédocles, Górgias, Platão e Aristóteles[1]. Górgias foi o primeiro filósofo que teorizou aquilo que conhecemos hoje como estética, como produção de sentimentos pungentes. Como a retórica, a arte seria moção de sentimentos,... Continuar Lendo →

Relevos romanos

Por Marcelo Albuquerque   Foi visto anteriormente, em Monumentos Triunfais, que os relevos escultóricos desempenharam papel fundamental na concepção dos arcos triunfais e colunas triunfais, como a Coluna de Trajano. Os romanos adquiriram, através dos retratos cívicos, a herança helenística e oriental de glorificação das vitórias e conquistas militares. A Coluna de Trajano, concebida para... Continuar Lendo →

Retratos e bustos

Por Marcelo Albuquerque É preciso recordar que os gregos não eram retratistas até o período clássico. Não se representavam historicamente, mas se relacionavam simbolicamente aos deuses. Seus inimigos vencidos seriam os próprios inimigos dos deuses nas batalhas mitológicas, como os titãs e os centauros, que podiam representar, por exemplo, os inimigos persas ou outros povos... Continuar Lendo →

A escultura romana e museus

Por Marcelo Albuquerque As influências etruscas e gregas são cruciais para o desenvolvimento de toda a obra escultórica romana, principalmente a partir do século II a.C. Os romanos desenvolveram uma exuberante arte dos retratos, sem precedentes na história, não só dos imperadores, mas dos patrícios e demais personagens que desejassem manter sua memória presente. Entretanto,... Continuar Lendo →

Grand Tour

Por Marcelo Albuquerque Viagens à Itália, em especial para estudar a Antiguidade, sempre pautaram roteiros de artistas, arquitetos e estudiosos. O Grand Tour era um tipo de viagem tradicional que percorria a Europa central, com destino final na Itália, realizada em geral por jovens europeus e americanos das classes mais abastadas ou que eram apadrinhados com bolsas de... Continuar Lendo →

Columbários

Por Marcelo Albuquerque Outra variedade de túmulos eram os columbários (columbarium), túmulos coletivos subterrâneos ou não, com nichos para guardar urnas com as cinzas dos mortos. Inúmeros columbários se encontravam ao longo das antigas estradas de Roma, porém poucas restaram. Não devemos confundir com as catacumbas, que recebiam os corpos não cremados dos mortos, adotados especialmente pelos... Continuar Lendo →

Sarcófagos, lápides, estelas e urnas funerárias

Por Marcelo Albuquerque A arte tumular romana deve muito às tradições etruscas e helenísticas, principalmente. Dos etruscos, os romanos herdaram a tradição de retratar os esposos reclinados sobre o triclínio, como vemos no Túmulo dos Esposos, na Villa Giulia (ver Terracota etrusca e Museu de Villa Giulia). O costume de enterrar os mortos, em especial... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑