Estádio de Domiciano e a Piazza Navonna

Por Marcelo Albuquerque

 

Do período de governo de Domiciano, destaco o desenho da atual Piazza Navona, local do antigo Estádio de Domiciano. A piazza tem forma de ferradura alongada, pois os atuais edifícios se erguem sobre as antigas arquibancadas do estádio, sendo possível visitar o subsolo da praça através de um museu subterrâneo dedicado às relíquias da Roma Antiga, entre os antigos alicerces. Sendo assim, seu formato nos apresenta a história do desenho urbano e dos edifícios, suas formas e as transformações que as cidades podem sofrer ao longo dos anos. Na entrada do museu, é possível ver uma arcada original do estádio. A praça em si era a arena por onde aconteciam os espetáculos artísticos e atléticos. Na Piazza Navona localiza-se o edifício da embaixada do Brasil na Itália. Predominantemente barroca, é ornamentada com a Fontana dei Quattro Fiumi (Fonte dos Quatro Rios), esculpida por Gian Lorenzo Bernini, entre 1648 e 1651. Acima da fonte está o Obelisco Agonalis. Ela representa os quatro principais continentes do mundo cortados por seus principais rios: Rio Nilo, Rio Ganges, Rio da Prata, Rio Danúbio. De frente à fonte, está a bela Igreja de Santa Inês, do também arquiteto e rival de Bernini, Francesco Borromini. Bernini e Borromini são dois grandes nomes e merecem atenção especial para uma boa compreensão do barroco italiano.

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Piazza Navona e a Igreja de Santa Inês, de Borromini. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Piazza Navona: obelisco e fontes. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

 

SAM_3890.JPG

Piazza Navona: embaixada do Brasil, o Palácio Pamphilj. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

 

O Estádio de Domiciano foi construído no Campo de Marte entre em 86 d.C. por Domiciano, de forma a celebrar o louvor ao imperador e para atender às práticas e competições de atletismo, com capacidade para aproximadamente 30.000 espectadores. Foi restaurado no século III pelo imperador Alexander Severus, derivando daí o nome de Circus Alexandrinus, nome mantido durante toda a Idade Média, funcionando até o século V. Na  Idade Média as estruturas do circo, especialmente as arquibancadas, deram lugar aos primeiros edifícios e, em seguida, aos palácios e igrejas. Essas construções foram alicerçadas com o robusto material de concreto romano que compunha as estruturas do estádio.  Com as inundações do Tibre, o perímetro foi convertido na atual Piazza Navona, aproximadamente 5 metros maior em relação ao antigo, e ainda pode-se ver as estruturas imperiais parcialmente e os túneis das arcadas por onde surgiram os primórdios da igreja de Santa Inês. Durante o Renascimento, as ruínas romanas serviram de pedreira para diversas construções suntuosas da área.

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Piazza Navona. Entrada do Museu subterrâneo do Estádio de Domiciano. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

 

s.jpg

Imagem do Google Earth sobre a Piazza Navona, observando-se, à direita, a cúpula do Panteão. Fonte: Google Earth. Acesso em: 14 set. 2016.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: