Por Marcelo Albuquerque

As Termas de Tito e as Termas de Trajano localizam-se nas encostas do Esquilino, sendo um dos mais antigos exemplos de termas e banhos romanos da era imperial. Foram concebidas como adaptações para o uso público das casas de banho privadas de Domus Aurea de Nero, seguindo o projeto imperial de Vespasiano de devolver ao povo os espaços urbanos apropriados por Nero, sendo o Coliseu o grande edifício que simboliza essa transição. As ruínas são poucas e podem ser apreciadas em um passeio pela Viale del Monte Oppio, que conecta o Coliseu ao coração do Esquilino.

500px-Baths_of_Trajan_Layout_2

Planta das Termas de Trajano. Fonte: Wikipedia. https://fr.wikipedia.org/wiki/Thermes_de_Trajan. Acesso em: 12 set. 2016.

800px-Thermes_de_trajan_gismondi

Termas de Trajano, visto a partir do Norte, segundo o
Modelo de Gismondi. Fonte: Wikipedia. https://fr.wikipedia.org/wiki/Thermes_de_Trajan. Acesso em: 12 set. 2016.

As Termas de Trajano foram erguidas ocupando construções anteriores, como a Domus Aurea e as Termas de Tito. O arquiteto foi Apolodoro de Damasco, o mesmo construtor dos Mercados de Trajano. Elas estão dispostas em um eixo norte-sul, girado em 36° em relação ao norte, de forma a aproveitar a luz e o calor solar.

SAM_1697.JPG

Ruínas das termas de Trajano. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAM_1701.JPG

Ruínas das termas de Trajano: alvenaria em opus testaceum e concreto romano. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Piranesi-1049

Piranesi: Termas de Trajano, 1756. Fonte: Wikipedia. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/38/Piranesi-1049.jpg?uselang=fr. Acesso em: 12 set. 2016.