Por Marcelo Albuquerque

Pseudoperíptero é uma tipologia arquitetônica de estilo de templos gregos, comum na Roma Antiga, que têm um pórtico profundo na fachada frontal, ou também no lado oposto, e que possui meias-colunas exteriores nas laterais. Em Roma, o Fórum Boário contém dois belos exemplos bem preservados de duas tradicionais tipologias templárias romanas, oriundas dos etruscos e dos gregos: um pseudoperíptero e um tholos. A planta retangular, como o Templo de Portuno (100-80 a.C.), conhecido anteriormente como o templo Fortuna Virilis, tem seus elementos arquitetônicos derivados dos etruscos, pois está elevada sobre o alto podium, porém sua ornamentação indica que certamente foi concebido por um arquiteto grego ou de formação helênica. É um pequeno templo jônico tetrastilo, ou seja, com quatro colunas no pórtico da fachada frontal. Suas meias-colunas ornamentais ladeiam a cella, formando um falso períptero. Possui paredes de concreto revestidas de estuque. É preciso estar atento para não confundir com o semelhante prostilo grego, que possui a naos (cella) livre de meias-colunas.

SAM_4233.JPG

Templo de Portuno, Fórum Boário. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Templo de Portuno, Fórum Boário. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Fórum Boário. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Piranesi_Egiziaca

Piranesi: Igreja de Santa Maria Egípcia, Fórum Boário. Fonte: Wikipédia. Disponível em: https://it.wikipedia.org/wiki/Chiesa_di_Santa_Maria_Egiziaca. Acesso em: 20 jan. 2017.

Foi construído, no local do Templo de Portuno, uma igreja durante o pontificado de Papa João VIII, por volta de 872, dedicado à Virgem Maria. O nome de Santa Maria do Egito (santa egípcia do século III) aparece durante o Renascimento. Nos anos vinte do século XX, a igreja foi desconsagrada para a restauração do antigo templo romano, e seus objetos litúrgicos foram transferidos para outro local.

Outro templo pseudoperíptero em excelente estado de preservação é o Maison Carrée, em Nimes, na França. Foi construído por volta de 19 a.C. por Agripa, em honra a membros da família de Augusto. Assim como o Panteão, o templo está em excelente estado de conservação devido ao fato de que ele foi convertido em igreja católica no século IV, além de desempenhar diversas funções públicas de Nimes, porém implicando transformações radicais em seu desenho, conforme pode ser visto na emblemática gravura de Piranesi, no século XVIII.  O templo possui um podium de 2,85 m de altura com uma escadaria de 15 degraus, e da mesma forma força o acesso apenas pela fachada frontal. É um templo pseudoperíptero hexastilo, ou seja, com seis colunas na fachada frontal, e três colunas livres nas laterais. Oito meias-colunas ladeiam a cella, de forma a harmonizar o edifício, porém sua função estrutural é irrelevante. Sua ordem é coríntia e possui um entablamento ricamente ornamentado. No século XIX torna-se um museu, e seu entorno é severamente modificado e demolido de forma a restaurar um estado do tempo dos romanos, tornando possível apresentar os contornos do antigo fórum.

1280px-MaisonCarrée

Maison Carrée, Nimes, França. Fonte: Wikipédia. Disponível em: https://fr.wikipedia.org/wiki/Maison_Carr%C3%A9e. Acesso em: 12 set. 2016.

O Templo da Sibila é um templo pseudoperíptero tetrastilo coríntio localizado na acrópole de Tivoli, ao lado do templo de Vesta, famoso tholos visto anteriormente. Não se sabe exatamente a qual divindade foi dedicado, sendo atribuído às sibilas. Foi construído na mesma época do tholos de Vesta, sobre alicerces que ampliaram as bases da acrópole. Ele também foi convertido em igreja católica durante a Idade Média, sendo dedicado a São Jorge, remontando ao século X.

SAM_4648.JPG

Templo de Sibila, Tivoli. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Templo de Sibila, Tivoli. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Interior da cella. Templo de Sibila, Tivoli. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.