Coliseu

Os textos e as imagens (fotografias, obras de arte e ilustrações) do autor estão protegidas pelas leis de direitos autorais – Lei 9.610/98. Nenhuma parte deste website poderá ser reproduzida ou transmitida para fins comerciais, sem prévia autorização por escrito do detentor dos direitos. Ao citar este website em demais pesquisas acadêmicas, gentileza observar as instruções acima “Como citar artigos deste website – Exemplo”. Para maiores informações, envie e-mail para: historiaartearquitetura@outlook.com, ou acesse CONTATO.

Por Marcelo Albuquerque

O Anfiteatro Flaviano, conhecido como O Coliseu, talvez a mais emblemática construção romana, foi iniciado por Vespasiano em 72 e inaugurado em 80 por seu filho Tito Flávio (79 – 81). Foi terminado por Domiciano entre 81 a 96. É o maior anfiteatro romano já construído e se tornou o símbolo da própria Roma. Estima-se uma capacidade para 50.000 a 80.000 espectadores. O edifício forma uma elipse com perímetro de 527 m, com eixos medindo aproximadamente 187 e 156 m. A arena medida cerca de 86 × 54 m, e altura atual atinge 48,5 m, mas originalmente possuía 52 m. Assim como o Arco de Tito, o trabalho foi financiado com as receitas resultantes de impostos e despojos do saque do Templo de Jerusalém, no ano 70 d.C.

SAM_4711.JPG

Anfiteatro Flaviano, o Coliseu, visto a partir das encostas do Esquilino, local da antiga Domus Aurea de Nero. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAM_1368.JPG

Anfiteatro Flaviano, o Coliseu. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

A área construída foi o vale entre o Fórum e o Celio, no local do lago artificial da Domus Aurea de Nero. A demolição dos edifícios e da imagem de Nero foi parte de uma política de Estado devido ao seu desastroso e infame governo, e o Coliseu seria uma excelente oportunidade do império devolver à Roma o terreno usurpado por Nero com um edifício de gigantesco apelo popular. Vespasiano drenou o lago e lançou as bases do anfiteatro, vindo a morrer em 79. Tito acrescentou novas fileiras de assentos e o inaugurou com cem dias de jogos, em 80, em homenagem à Vespasiano. Logo depois, o segundo filho de Vespasiano, Domiciano, completou o trabalho. Acredita-se que o anfiteatro comportava, no início, naumaquias, ou seja, batalhas navais encenadas na arena, com águas desviadas do Acqua Claudia, antes da construção dos hipogeus para abrigar os gladiadores, condenados e animais selvagens, além dos sistemas de elevadores que elevavam as atrações do hipogeu para as areias da arena.

Jean-Leon_Gerome_Pollice_Verso.jpg

Pollice Verso por Jean-Léon Gérôme, 1872. Fonte: Wikipédia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Coliseu. Acesso em: 14 set. 2016.

O nome Coliseu é derivado da estátua gigante que representaria o próprio imperador Nero, mas que foi preservada durante a demolição do palácio do mesmo, a Domus Aurea, reformada para representar a imagem do deus Sol Invictus. O colosso foi transferido de seu local original para se assentar em frente ao templo de Vênus e Roma durante o império de Adriano.

SAM_1754.JPG

Vista interna do Coliseu. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Continue a leitura adquirindo o livro ou e-book completo.

Veja mais:

Anfiteatros

Teatro romano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: