Monumentos triunfais romanos

Por Marcelo Albuquerque

Mundialmente conhecidos e copiados, os arcos triunfais são monumentos à memória de grandes feitos e conquistas. Entre os mais famosos, destacam-se os arcos de Tito, Sétimo Severo e Constantino, que serão apresentados com mais detalhes posteriormente. Os arcos triunfais, por serem essencialmente cerimoniais, recebiam grande quantidade de ornamentação escultural e detalhes arquitetônicos. Em geral, os arcos são compostos pelo podium, arcadas, entablamento e o ático. Sob os arcos passavam vias de acesso, que podiam ser usadas para desfiles triunfais ou conjunções entre cardus e decumanos em cidades de províncias romanas, na forma de tetrapylons, por exemplo. Sua forma influenciou as igrejas e basílicas cristão, na forma do arco-cruzeiro, que separa a nave central da capela-mor. O Arco do Triunfo, em Paris, é o arco triunfal mais famoso do período neoclássico, inaugurado em 1836, com formas baseadas no Arco de Tito.

SAM_1381.JPG

Arco de Constantino, 315, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Tetrapylons de Palmira e Jerash, respectivamente Fonte: Wikipedia. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Tetrapylon. Acesso em: 12 set. 2016.

SAM_4235.JPG

Arco Quadrifonte, século IV d.C., Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Os arcos de triunfo também serviram de modelo para igrejas e palácios. No Renascimento, palácios e residências nobres recebiam ornamentações inspiradas nos arcos triunfais, como vemos no Museu de Villa Giulia, o museu dos etruscos, em Roma. Alberti, ao projetar o Templo Malatestiano, em Rimini, baseou-se no arco romano existente nos arredores da cidade. Mais adiante, levou a ideia para a igreja de Sant’Andrea, em Mântua. Aqui, além da fachada inspirada em arco triunfal, as arcadas interiores e as abóbadas de berço repetem o tema do arco triunfal. Ela será inspiração para a grande basílica de São Pedro, no Vaticano.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Villa Giulia, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Igreja de Sant’Andrea, em Mântua Fonte: Wikipedia. https://en.wikipedia.org/wiki/Basilica_of_Sant%27Andrea,_Mantua. Acesso em: 12 set. 2016.

800px-Tempio_Malatestiano_Rimini.jpg

Alberti: Templo Malatestiano, em Rimini. Fonte: Wikipedia. https://pt.wikipedia.org/wiki/Templo_Malatestiano. Acesso em: 12 set. 2016.

Além dos arcos, destacam-se as colunas triunfais, monumentos comemorativos derivados dos troféus militares. Nas guerras passadas, os soldados erguiam colunas de troncos de árvores em agradecimento aos deuses, decorando o tronco com as armas capturadas dos inimigos. Posteriormente, o tronco foi substituído por colunas gigantescas. A Coluna de Trajano, de 113 d.C., localizada no Fórum de Trajano, apresenta um dos mais belos relevos em mármore da história, narrando as conquistas do imperador na Dácia. Outra famosa coluna, em Roma, é dedicada ao imperador Marco Aurélio.

SAM_1590.jpg

Coluna de Trajano nas ruínas do Fórum de Trajano, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Outro monumento de grande imponência é o Troféu dos Alpes, de Augusto, em La Turbie, no sul da França, datado de 6 a.C. Constitui-se de um grandioso edifício parcialmente restaurado, erguido para impor respeito e lembrar a ocupação e pax romana no solo alpino e gaulês, delimitando as fronteiras da Itália e da Gália.

800px-La_Turbie_BW_1.JPG

Troféu dos Alpes, La Turbie. Fonte: Wikipedia. Disponível em: https://fr.wikipedia.org/wiki/La_Turbie. Acesso em: 12 set. 2016.

Veja também:

Arco de Tito

Arco de Sétimo Severo

Arco de Constantino