Domus italica em Pompeia

Por Marcelo Albuquerque   Como vimos anteriormente (ver Domus italica), as casas romanas eram mais que um mero abrigo para o corpo físico; era o ponto de encontro da família e o centro das cerimonias religiosas mais intimas. De origem etrusca, as casas ou domus eram o tipo de habitação mais comum entre a nobreza... Continue lendo →

Edifícios e estruturas de Pompeia

Por Marcelo Albuquerque   A Porta Marina, entrada principal do parque, até a fatal erupção do Vesúvio em 79 d.C., situava-se rente ao porto da cidade, na costa do mar, e atualmente está a quilômetros de distância. É por ela que se acessa o parque pela estação de trem principal e bilheteria. De acordo com... Continue lendo →

Mosaicos e trabalhos finos em pedra

Por Marcelo Albuquerque   O opus tessellatum é uma forma de mosaico para ornamentação dos pisos, baseado na montagem de pequenas peças coloridas denominadas tesserae. São feitas de diversos materiais, como mármores, pedras rústicas e nobres, pedras semipreciosas, vidros, esmaltes, metais e cerâmicas. Os mosaicos eram agregados com argamassa e colocados sobre um suporte que poderia conter mais camadas de pedras e camadas... Continue lendo →

Estilos de pinturas romanas

Por Marcelo Albuquerque   As pinturas romanas, em grande parte afrescos, têmperas e encáusticas, receberam influencias etruscas, itálicas e gregas. Em Pompeia encontram-se grandes exemplos preservados de pinturas, especialmente as agregadas aos ambientes arquitetônicos públicos e privados (ver Domus italica). As pinturas nos ambientes se dividem em quatro estilos principais, configurando padrões decorativos, sendo eles:... Continue lendo →

Considerações finais sobre o estudo da cor

Por Marcelo Albuquerque   O interesse pela cor é decorrente da minha experiência como artista e como professor. A cor sempre foi um ponto que implicou decisões dramáticas, seja por aspectos compositivos, simbólicos, psicológicos e técnicos. O uso da cor não é uma questão puramente prática; ela implica uma série de conhecimentos adquiridos na história... Continue lendo →

Land Art

Por Marcelo Albuquerque   Movimento, mudanças, luz, crescimento e decadência são, para Andy Goldsworthy, o sangue vital da natureza, as energias com que o artista procura construir sua obra. Quando trabalha com uma pedra, um tronco ou uma folha, não é o material em si que ele está preocupado, mas com um processo mais integral... Continue lendo →

Panteão de Roma

Por Marcelo Albuquerque Adriano, cujo governo se estendeu de 117 a 138, pode ser considerado um dos maiores construtores dentre os imperadores. Supõe-se que o próprio tenha projetado o Panteão, construído entre 118 a 128, ou por Apolodoro de Damasco. Construído por Adriano, no lugar de outro templo construído pelo cônsul Marco Agripa, o Panteão... Continue lendo →

Neoexpressionismos

Por Marcelo Albuquerque   O grupo CoBrA tem por excelência a renovação do expressionismo na metade do século XX. Eles se opunham às principais correntes artísticas de sua época, como o racionalismo da abstração geométrica e o proselitismo do realismo social dos países comunistas. Utilizavam elementos tanto da pintura figurativa como da abstrata, mesmo assim... Continue lendo →

WordPress.com.

Acima ↑